Cabana Sport

"Sua Aventura Começa Aqui"

Alimentação

         

       Perder-se em trilhas em matas é muito comum, por isso é importante se preparar possíveis situações de emergência. Estando numa situação de perigo, primeiramente, terá que analizar o lugar que está. O corpo humano não sobrevive sem comida por muitos dias, portanto se você ficar em uma situação difícil sem alimento e sem água, preste atenção nas dicas: Quando se está perdido em uma selva os primeiros cuidados a se tomar é:

1- verificar a quantidade de água e comida que ainda dispõe;

2-Manter a calma e o equilíbrio emocional;

3-Procurar por água e comida;

4- Sua cota de energia será assegurada se os alimentos que dispuser contiverem carboidratos, proteínas e gorduras.

          Para se procurar comida na selva é importante ter em mente as dicas:

         Nas circunstâncias mais comuns, você poderá encontrar algo paro comer, esteja onde estiver. Uma das melhores áreas para um sobrevivente encontrar alimento é a faixa da costa, bem junto ao mar, entre as marcas de maré alta e maré baixa. Outros pontos em que se poderá encontrar alimento com razoável certeza são: 

  - as áreas entre uma praia e um recife de coral;

 - os baixios, os “tabuleiros” de lama (ou lodo) e os mangues, onde os rios se lançam ao mar ou desembocam em outro rio maior; 

 - às margens de um rio, nas grandes poças d'água situadas mais para dentro, em terra, nas margens de pequeninos lagos e de lagos maiores, nas orlas das florestas, 

 - nos prados naturais, nas encostas protegidas das montanhas, e nos campos de cultivo abandonados. Os piores lugares são os altos píncaros das montanhas, os espinhaços secos e as áreas de florestas contínua e densa. 

        O alimento de procedência animal é o que lhe proporcionará o máximo de valor nutritivo por quilo de peso. Tudo o que se arrasta sobre o chão e que anda sobre patas, que nada ou que voa constitui uma possível fonte de alimentos. Lagartas sem pelo, larvas crisálidas de escaravelhos furadores de madeiras, iças ou tanajuras e cupins. Estes insetos possuem alto teor de gordura.

       Atenção: a carne de animais deve ser comida ela estando fresca ou há pouquíssimo tempo do abate, caso contrário poderá trazer mais danos do que benefícios ao seu organismo.

      Existem, no mínimo, umas 300.000 espécies diferentes de plantas silvestres no mundo. Grande número dessas espécies pode ser ingerido, embora algumas sejam mais agradáveis ao paladar do que outras. Sob condições de sobrevivência, é possível que o alimento derivado de plantas e animais silvestres venha a alterar completamente o regime alimentar a que você está acostumado. 

        As plantas são mais comuns do que os animais e, por isso, aproveite o mais - que puder o alimento que lhe oferecem as primeiras. No que se refere às plantas, convém muito que você saiba distinguir entre as plantas silvestres comestíveis e as venenosas e que possua algumas noções práticas sobre as regiões onde crescem e se desenvolvem e de como utilizá-las.

      Fique longe do “CAL” A sigla CAL quer dizer “Cabeludo, Amargo e Leitoso”. Se o fruto em questão tiver essas três características somadas, nem pense em comê-lo. Porém, a existência de apenas uma ou duas dessas características não impede o consumo — o kiwi, por exemplo, tem a casca “cabeluda” e o mamão pode soltar uma espécie de leite

     Não coma um alimento estranho sem primeiro prová-lo. Cozinhe, primeiramente, uma amostra. Em seguida, ponha um pouco da amostra na boca, mastigue-a e conserve a porção na boca, durante uns 5 minutos, Se, passados esses 5 minutos, o paladar não estranhar o gosto da porção, poderá comer sem susto, do alimento em questão. Mas se o gosto da porção tomar-se de qualquer forma, desagradável; se o paladar estranhar, então não coma do alimento em questão.

  

Curta nossa página no Facebook

http://www.facebook.com/CabanaSport

Acesse nossa loja:

www.lojacabanasport.com.br